Archive for dezembro, 2007

A política atual do PET incentiva a criação de novos grupos, mas percebemos que ainda faltam equipes.

Alguns grupos PET vivem hoje uma ilusão sobre o gerenciamento de equipes. O chamado trabalho em equipe não passa de um mero aglomerado de pessoas trabalhando juntas, fisicamente ou não, realizando suas funções pré-estabelecidas. Os grupos trabalham divididos, nos quais cada petiano é responsável pelas suas funções, enxergando somente um pedaço de toda abrangência que a formação tutorial oferece. Para começar a montar esse quebra-cabeça de forma correta, é preciso analisar primeiro o que significa, de fato, trabalhar em equipe. Uma equipe se distingue de um grupo pela maneira de pensar. Se existe um problema a ser resolvido, o “grupo” trabalha fisicamente em conjunto, mas cada um cria a sua linha de raciocínio e tenta defendê-la. Do outro lado, temos uma equipe que ao tentar resolver o mesmo problema gera idéias independentes por cada por parte de cada um dos petianos. A diferença é que essas idéias são contempladas pelo ponto de vista dos outros integrantes até que uma linha de raciocínio única seja construída.

Chegar a esse nível de integração não é uma tarefa fácil, e se torna ainda mais complicada no caso de uma equipe multifuncional – quando realmente os petianos obtêm a consciência e passam a agir de acordo com os objetivos do programa. Para alcançar a “multifuncionalidade” o grupo deve ser contemplado com petianos que prefiram diferentes áreas de atuação e exerçam funções distintas na universidade. Normalmente, cada petiano traz consigo uma visão particular do que seja o trabalho em equipe e assim irá aplicar seus conceitos de tolerância, complacência, cobrança, expectativas de resultados e estímulo à tomada de decisão, entre outros fatores. Nesse conceito de tutorar uma equipe multifuncional, é preciso entender as características pessoais – valores, expectativas, desejos, habilidades, conhecimentos e atitude – de cada petiano e saber realizar avaliações da equipe. Tutorar vai além de aplicar as regras do programa. Significa entender cada pessoa, lidar com a diversidade, cobrar com respeito e dignidade o desempenho combinado ou esperado. A tarefa inclui também realizar com freqüência conversas ou avaliações sobre o que foi realizado em relação ao que havia sido planejado, além de disponibilizar meios para melhorar a atuação e atingir as expectativas. Um grande desafio para o tutor de equipes multifuncionais é o fato de ter de influenciar e não mandar, pois os petianos da equipe são seus pares na organização. É nesse momento que as habilidades do tutor são colocadas à prova: liderar sem autoridade funcional. O segredo está no conhecimento das características individuais – dele mesmo e de cada um dos petianos.

Para o PET, o grande beneficio do trabalho em equipes multifuncionais é que, comprovadamente, os resultados são superiores: resolução mais rápida dos problemas e com maior satisfação dos integrantes. Isso acontece porque o trabalho é feito por pessoas com experiências diversas, com visões de trabalho em equipe e valores pessoais distintos. E são essas diferenças que permitem analisar o mesmo tema com uma maior variedade de percepções e interpretações, resultando na melhor solução.

Equipe PET - Engenharia Florestal !

                                               EQUIPE PET -ENG. FLORESTAL
Boas Férias!

Richardson B. G. da Silva (Jenipapo)
Adaptação de CHEBEL, P .

Leia o resto deste post »

Leave a comment »